"Cada qual sabe amar a seu modo; o modo pouco importa; o essencial é que saiba amar." (Machado de Assis)

segunda-feira, dezembro 26

Nossos medos

Um fato... nossos principais medos e receios são frutos das nossas ações (ou da imaginação de nossas ações) inconseqüentes ou impensadas.
Basicamente, tememos o que de alguma forma somos capazes de fazer.
Uma alma descansada e que procura viver de uma forma justa e honesta, confia tanto na sorte quanto na Providência.
Quando caminhamos a passos firmes e seguros, os ventos e os temporais da vida não nos derrubam.
Não sou sortuda ou destemida. Não sou insolente com os 'perigos do mundo'. Sou honesta com a vida e, principalmente, comigo.

4 comentários:

Julio disse...

Eu queria também, assim como vc, me certificar da origem dos meus medos, porque, talvez, eu goste mesmo é de correr perigo. Não me acostumo com regularidades e rotinas, caminhos conhecidos me são enfadonhos, e nada como a adrenalina antecipante de novos sentimentos. =)

Nina Souza disse...

Trilhar caminhos novos confiando na sua escolha é exatamente o que muitos chamam de insolência. E eu chamo de coragem para viver e honestidade para com seu coração. :) Abs!

Cadinho RoCo disse...

Em meio a cada atitude nossa devemos ter sempre a firmeza do propósito que nos encoraja sempere. O que nos amedronta é a atutude fraca.
Cadinho RoCo

Thiago Domingues disse...

Oi Nina! Fomos "vizinhos" de comentários no blog do Francisco e resolvi dar uma espiadinha...Gostei muito do que vi aqui!
Viver é se aventurar! E que venha 2012 com muita aventura e poesia nos olhos e na alma!
Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...